Aviação

Investimentos

Combustível de aviação tem valor mais alto no Brasil desde 2002

O querosene de aviação (QAV) chegou nesta semana ao seu maior valor histórico pago pelas companhias aéreas do Brasil. O índice alcançou por volta de R$ 3,30, incluindo impostos, segundo revelou a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).
Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

avião,aeroporto

 

A Agência Nacional do Petróleo, ANP, salienta que esse é o valor mais alto desde 2002, ano em que foi implantada a liberdade tarifária. Nos últimos dois anos, o combustível de aviação acumula alta de 82%.

“A fixação de um teto para o ICMS sobre o combustível dos aviões, imposto que só é cobrado no Brasil, não foi aprovada pelo Senado no ano passado. Além disso, temos uma política de precificação da Petrobras que não é discutida e penaliza não só a aviação, mas diversas outras atividades de extrema importância para o País”, sugere o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz.

Quem compartilha da mesma visão é a diretora de Aviação da Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural), Ana Helena Mandelli. A profissional defende a revisão do imposto e, segundo ela, a cadeia e a logística de produção do QAV são oneradas por esse imposto, causando prejuízos maiores ao custo final.

“Para que haja um mercado de fato mais competitivo precisamos de mais infraestrutura para importação e ter efetivamente outra fonte de fornecimento do querosene de aviação, para que haja uma real competição com a Petrobras como fornecedora. Só assim, a gente talvez consiga capturar todos os ganhos dessa competição”, diz Ana.

Corporativo

Aviação

Turismo de negócios cresce 6,6% em 2017

No segmento de transporte aéreo, a venda de passagens em voos domésticos para o cliente corporativo cresceu 9,9%; nos voos internacionais, as viagens de negócios aumentou 22% em vendas.
Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

Resultado de imagem para matérias recentes sobre turismo corporativo

 

As atividades ligadas ao turismo de negócios no Brasil cresceram 6,6% em vendas em 2017 ante 2016, segundo dados da Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), com a movimentação de R$ 11,424 bilhões em passagens aéreas, diárias de hotelaria, locação de automóveis, eventos e outros serviços.

No segmento de transporte aéreo, a venda de passagens em voos domésticos para o cliente corporativo cresceu 9,9%, atingindo R$ 4,454 bilhões. Nos voos internacionais, as viagens de negócios dos brasileiros aumentou 22% em vendas, chegando a R$ 3,742 bilhões.

A Gol liderou em 2017 o mercado doméstico da aviação no turismo corporativo tanto em quantidade de bilhetes como em vendas faturadas, respectivamente com 30,8% e 31,4% de participação de mercado.

A vice-líder em bilhetes comercializados foi a Latam, com 29,2%, seguida pela Azul (24,1%) e Avianca (14,5%). Já em termos de faturamento, a Azul foi a vice líder, com 28,1% de marcado doméstico corporativo na aviação, seguida por Latam (27,9%) e Avianca (11,2%).

A tarifa média das viagens aéreas corporativas dentro do Brasil em 2017 ficou em R$ 602, preço 4,8% acima do valor médio de 2016.O maior preço médio por bilhete foi praticado pela Azul, com R$ 704, seguida pela Gol (R$ 615), Latam (R$ 553) e Avianca (R$ 465).

No segmento internacional, a Latam deteve 17,8% das viagens aéreas corporativas vendidas no Brasil, seguida por American Airlines (11,8%), Air France (9,1%) e United Airlines (7,6%).

Entre os outros setores do turismo de negócios, a hotelaria doméstica teve retração de 5,3% nas vendas, que atingiram R$ 1,852 bilhão.O setor de locação de carros no Brasil em 2017 a clientes corporativos teve queda de 9% em vendas ante 2016, ficando em R$ 153,6 milhões. E a área deeventos recuou 22,6%, fechando o ano com vendas de R$ 497,8 milhões.

Destinos

Eventos

Com aeroportos sem combustível, governo liberará estradas

a
Publicado em 2018-05-28
Clique aqui para ver a matéria

Pelo menos 11 aeroportos do Brasil tiveram seus estoques de querosene de aviação zerados nesta sexta-feira (25). A informação foi confirmada pela Infraero, após cinco dias de manifestação dos caminhoneiros. A falta de combustível já havia causado o cancelamento de nove voos em Brasília e outros oito no Recife. Ao Portal PANROTAS, a Infraero afirmou que o reabastecimento depende da chegada das carretas e apenas as aeronaves que tiverem combustível para a próxima etapa dos seus voos estão autorizadas a pousar.

Confira a lista de aeroportos onde há restrição ou falta combustível de aviação:
 

  • Goiânia
  • Brasília
  • Recife
  • Vitória
  • Uberlândia (MG)
  • Carajás (PA)
  • Ilhéus (BA)
  • João Pessoa
  • Joinville (SC)
  • Juazeiro do Norte (CE)
  • Maceió
  • Palmas
  • São José dos Campos (SP)


Aeroportos com estoque reduzido:
 

  • Congonhas (SP)
  • Aracaju
  • Curitiba
  • Campina Grande (PB)
  • Imperatriz (MA)

Comer e Beber

Gastronomia como diferencial em eventos corporativos

Quando se trata de eventos empresariais, sejam treinamentos, palestras, workshops ou convenções, existe uma diferença entre alimentação e gastronomia.
Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

Resultado de imagem para gastronomia corporativa para atrair gestores de empresas

A primeira caracteriza-se por apenas servir os participantes, enquanto a última consiste em selecionar o menu adequado, oferecendo uma experiência gastronômica marcante aos convidados.

Quando a organização do evento opta por investir em gastronomia é necessário levar em consideração uma série de fatores. Seja um coquetel, coffee break, brunch ou jantar, o primeiro passo para o sucesso do evento é a contratação de uma empresa com know-how, que poderá garantir a qualidade dos processos de logística, armazenamento e preparo dos alimentos, além de fornecer mão de obra qualificada.

A expertise é o que diferencia uma empresa de gastronomia especializada em eventosde um buffet comum.

Outro fator importante a se considerar é o contexto do evento corporativo para então escolher como será servido o cardápio. O coffee break deve ser servido até às 10h, geralmente no momento em que os convidados chegam. O brunch consiste em uma refeição mais consistente, sendo servido a partir das 10h, até o horário do almoço. Já o coquetel é mais versátil, podendo ser servido à tarde ou à noite.

Hotelaria

Tecnologia

Hotéis Pullman de SP criam programação especial para a Copa

No Pullman Vila Olímpia, um cardápio inspirado na gastronomia de boteco paulista é a novidade para o período de Copa do Mundo
Publicado em 2018-06-15
Clique aqui para ver a matéria

No Pullman Vila Olímpia, um cardápio inspirado na gastronomia de boteco paulista é a novidade para o período de Copa do Mundo

Em ritmo de Copa do Mundo, os hotéis Pullman, em São Paulo, vão participar da campanha Sua Nação, Nossa Torcida, da Accor Hotels. A rede propõe uma série de ações temáticas para beneficiar os hóspedes, com lançamento de novos drinques, cardápios especiais, promoções e até uma 'batalha de DJs'.


Para a primeira partida do Brasil, diante da Suíça, no próximo domingo (17), três hotéis da marca contarão com a DJs Battle. Após o jogo, às 17h, os DJs darão início a uma disputa, que será transmitida ao vivo por telões para os outros empreendimentos, conectando todos para uma grande interação. Na ocasião, o hotel também lançará o Gin Tropical, uma nova opção de bebida nos bares dos hotéis.

No Pullman Ibirapuera, durante toda a competição, cada gol do Brasil resultará em uma caneca de chope. Um sino será tocado e o cliente poderá retirá-la no bar. Já nos jogos da França, a tripulação da Air France ganhará, a cada gol do país, um copo de caipirinha.

Já o hotel Pullman Vila Olímpia criou um menu especial para o período, inspirado na gastronomia de boteco. Durante os jogos, serão servidos combos inéditos, como o de batatas chips e cerveja e o saco de pão de queijo com café com leite.

O hotel Pullman Guarulhos Airport vai oferecer um cardápio de tapas inspirados nos países que disputarão os jogos na Rússia. Camarão empanado em coco e molho de moqueca é a sugestão para o Brasil. No caso da Alemanha, salsichas com chucrute e mostarda escura. Para a Rússia, blinis com salmão defumado e sour cream. Ceviche de pescado e tosta de pão é a proposta peruana e choripan para a Argentina.

Investimentos

“O Brasil é nosso principal mercado” afirma Carlos Burgoa, GG do Llao Llao Resort, ao DT

O gerente geral do Llao Llao Resort, Golf & Spa, em Bariloche, Argentina, conversou com o Representantes no Brasil e apresentou um pouco sobre o resort e seu trabalho.
Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

â??O Brasil é nosso principal mercadoâ? afirma Carlos Burgoa, GG do Llao Llao Resort, ao DT

 

Além de ser um dos melhores em sua categoria, o empreendimento oferece diversas experiências aos hóspedes. Entre o mais conhecido está o ex-presidente Barack Obama e sua família.  De tanto receber pessoas, Burgoa contou que:

uma das qualidades mais importantes para um gerente geral é a orientação aos hóspedes e para o serviço, além da honestidade e capacidade de se adaptar às mudanças que são apresentadas”.

Carlos fala sobre a importância do Brasil para seu empreendimento. “O Brasil é nosso principal mercado e não somente nos invernos, mas também durante o resto do ano já faz muito tempo. Valorizamos muito os hóspedes brasileiros que nos acompanham”, afirma o executivo.

O resort já foi premiado diversas vezes e, inclusive, como melhor hotel de golfe da América Latina. Tantos títulos tornam o empreendimento melhor que outros!

Realmente o Llao Llao Resort, Golf & Spa tem distinções e menções honrosas de nível internacional, mas não só porque somos membros da rede “The Leading Hotels of the World” – que distingue os melhores hotéis do mundo- mas, também, porque temos sido reconhecidos como o melhor Resort de ski, resort de famílias e de golfe. Valorizamos muito os prêmios e isso nos compromete para manter a qualidade de nossos serviços e produto. O Llao Llao oferece um produto único em uma região paradisíaca, com variedades em atividades que fazem uma experiência inesquecível para nossos hóspedes. Finalmente, o que nossos visitantes distinguem particularmente é a atenção especial de nosso staff, muito personalizada e cálida ao mesmo tempo.

Mostrando o que o Llao Llao oferece aos hóspedes que o faz ser uma referência como hotel temático!

Como já mencionado anteriormente, o Llao Llao está localizado estrategicamente em um cenário único rodeado pelos lagos Nahuel Huapi e Moreno e importantes montanhas (cerros em espanhol) como a Tronador, Lopez e Capilla, no Parque Nacional Nahuel Huapi. Por isso a estada no resort é uma “experiência” muito enriquecedora. Um campo de golfe, atividades para todas as idades, clube de crianças, spa, atividades de inverno, transfers para o cerro Catedral na temporada de ski, eventos corporativos, duas piscinas aquecidas, marina com praia sobre o lago Moreno completam nossa oferta. Por isso consideramos que o Llao Llao é um resort que oferece o que os hóspedes precisam e ainda mais, além de ter uma atenção profissional preparada para a demanda de personalidades, presidentes, eventos protocolares, sociais, etc.

O Brasil é um mercado prioritário, definimos um percentual de hóspedes brasileiros que o resort recebe anualmente!

O Brasil é nosso principal mercado e não somente nos invernos, mas também durante o resto do ano. Valorizamos muito os hóspedes brasileiros que nos acompanham. Inclusive temos hóspedes frequentes que visitam o resort duas ou três vezes durante o ano. Agora com a conectividade aérea que está melhor, um tipo de câmbio muito mais competitivo e importante devolução do imposto (IVA) 21% sobre a hospedagem, facilitou a chegada de mais turistas do Brasil.

Falou um pouco da estratégia de comunicação e vendas para o mercado brasileiro, especialmente. Contam com algum representante no Brasil! Muitas convenções e eventos corporativos de clientes brasileiros.

Temos um representante em São Paulo já há alguns anos, porque o Brasil é nosso mercado mais importante. Também participamos de diversas feiras internacionais e fazemos diferentes ações, famtours para promover a visita dos hóspedes brasileiros ao resort. Recebemos importantes eventos corporativos e convenções do Brasil. Por exemplo, eventos do Grupo Lide (do João Doria), Unigolf e Unibanco. É nossa intenção continuar nessa direção.

Mercado

Tecnologia

Kuomi aposta em ferramenta on-line para viagens sob medida.

Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

PUBLICIDADE

A Kuoni anunciou, nesta semana, que deve lançar uma nova ferramenta on-line de viagens neste ano. Ela deve seguir principalmente duas apostas de demanda: uma delas é a de viagens sob medidas, personalizadas exclusivamente para seu próprio gosto - aposta lembrada também durante a Fitur deste ano; a outra, é a de clientes que preferem reservar tudo por conta própria, ao invés de fazer pesquisas individualmente mas na hora de fechar a viagem recorrer a um consultor ou especialista de Turismo.

O objetivo da empresa é que o novo recurso una as duas tendências: viajantes poderão planejar toda sua viagem e seus detalhes, sob medida e personalizada, dentro da plataforma; ao ficarem satisfeitos com o planejamento, fecham as reservas igualmente por conta própria, sem precisar falar diretamente com nenhum consultor.

O diretor da Kuoni, Derek Jones, explicou que uma ferramenta semelhante foi lançada há alguns anos pela empresa, mas que inicialmente não teve sucesso. Mudanças teriam sido feitas para a nova tentativa, com uma abordagem mais simples e objetiva para facilitar a vida do viajante.

Ainda segundo Jones, a nova ferramenta ainda não foi nomeada, mas deve ser lançada no final de junho ou no início de julho, e provavelmente começará com apenas alguns destinos selecionados..

Economia e Política

Viagens ficarão mais caras em 2019, mas não no Brasil, mostra pesquisa.

Previsão é que gasto com passagem aérea caia 3,1% no país e suba 2,6% no mundo
Publicado em 2018-08-21
Clique aqui para ver a matéria

Avião em pista, com pessoa à sua frente, de costas

O preço das viagens deve aumentar no mundo em 2019. Os gastos com passagens aéreas vão subir 2,6%, enquanto as despesas com hotéis crescerão 3,7%. As previsões são do relatório Global Travel Forecast, da empresa de viagens corporativas CWT (Carlson Wagonlit Travel) em parceria com a Associação Global de Viagens Corporativas (GBTA, na sigla em inglês). A boa notícia é que as viagens no Brasil devem seguir ?na contramão da tendência. É previsto que os gastos com hotéis caiam 1,9%, e que as passagens aéreas fiquem 3,1% mais baratas por aqui. A queda é esperada apesar do recente histórico de alta das passagens no país: subiram 7,9% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2017, segundo a Anac. “Tivemos aumento nas tarifas devido a cobrança de serviços adicionais que antes não existiam, como remarcação de assento e franquia de bagagem, e por isso ainda não vimos uma diminuição efetiva do preço das passagens”, diz Fernando Michelini, diretor presidente da CWT no Brasil. Para ele, o acordo de céus abertos selado entre Brasil e Estados Unidos deve trazer competição para as companhias aéreas e reduzir o preço das passagens nos próximos anos.

O aumento esperado nos gastos globais com passagens e hotéis é causado por ameaças a economia, como o aumento de políticas protecionistas, o risco de guerras comerciais e a incerteza sobre como vai ser o Brexit, no Reino Unido, afirma Michael W. McCormick, diretor executivo da GBTA. O relatório aponta também algumas tendências de destinos e viagens: a Espanha vai ter aumento de 6,7% nas passagens aéreas e de 8,5% nos hotéis, motivados por um maior fluxo de visitantes —o país pode ultrapassar os Estados Unidos como a segunda nação mais visitada do mundo, segundo a pesquisa (o primeiro lugar continua com a França). Outra tendência é o aumento do número de voos com mais de 17 horas no ar. Segundo a pesquisa, há hoje 19 rotas com essa duração em funcionamento no mundo, três vezes a quantidade de uma década atrás. Segundo Michelini, esse crescimento reflete o desenvolvimento tecnológico das companhias aéreas e também sua vontade de cortar custos: um único voo mais longo é mais barato para a companhia do que uma junção de voos curtos. Para o passageiro, mesmo que seja cansativo ficar 19 horas em um avião, o voo pode compensar o desgaste com a espera em escalas e deslocamentos pelos aeroportos.